19 abril 2019

Foi por isso que a gente terminou

Você nunca me leu
Nem quis

Meus livros têm crosta de poeira na tua estante

Sou palavras que nunca foram lidas
Nem desejadas

Você nunca me leu
Nem quis

E tudo que eu queria era que você
Chegasse e dissesse
"Eu te li"
Porque significaria que você me amava.

Eu não te quero mais, é essa a verdade.

Eu minto para você o tempo todo. Minto que está tudo bem e que penso em ti durante o dia e sonho contigo à noite. Eu minto que não sei o que fazer sem teu abraço e dedos mágicos. Minto que tuas palavras me ajudam a superar qualquer coisa quando você sequer leu alguma palavra minha. Eu minto o tempo todo porque te falar a verdade é mais difícil e eu tenho preguiça de tentar terminar qualquer coisa agora. É mais fácil te procurar de madrugada e me enroscar em qualquer coisa pré-pronta do que sair procurando por aí alguma coisa que eu mesma vou ter que preparar. É micro-ondas. Aperto três botões, espero o bip e deu. Você é a minha mentira mais fácil de contar. Eu minto que você tem tudo que eu sempre quis quando não quero nem te ver por aí durante o dia. Eu não te quero mais, é essa a verdade. Nem sei se algum dia eu quis. Hoje, hoje mesmo, não quero. Mas se me perguntar, vou quase te jurar amor eterno. Vou enrolar meus dedos aos teus, beijar teus lábios devagar e prometer que tudo ficará bem. Porque mentir para você é tão fácil... acho que porque nem você acredita.

Era madrugada quando te liguei.

Era madrugada quando te liguei. Nunca quis acordar o que já estava morto em mim, mas era madrugada. "Tá tudo errado", eu falei, e recebi tua risada como na minha pele. Fiquei esperando você me dizer que as coisas sempre melhoram, que eu não precisava chorar, que estava tudo bem estar tudo mal. Era madrugada quando te liguei e você riu, meio sem paciência meio com sono e querendo desligar logo. Eu sempre te afastei dos teus pesadelos não sabendo que você me considerava um deles. "Okay", acho que respondi e desliguei. Faz tanto tempo que tua voz não fala diretamente na minha boca e que não falamos a mesma língua. Mas era madrugada quando te liguei e sempre funcionamos na madrugada, era a única coisa que fazíamos certo.

Ontem era madrugada quando te liguei e hoje eu desejo que você não tivesse atendido.

18 abril 2019

E eu sempre fui inverno, tempestade

É verão demais
Suor, calor, agonia
Não sei se posso mais
Tenho pavor, alergia

Mas você vem cheirando a mar
Me pede um pedaço do que quer que seja meu
Escreve nosso nome na areia para apagar
Entrelaça nossos dedos e diz que "tá aí, o amor venceu"

Mas é muito verão
E eu sempre fui inverno, tempestade
Não sei lidar com tanta atenção
Ficar tão perto, saber sempre a verdade

E você se enreda todo em mim
Na hora de dormir, não se importa se lá fora faz 30°
E quase desejo ficar para sempre assim
Mas vou arranjar um jeito para que acabemos mal

Porque é muito verão
É muita luz e quentura
Corpos nus e aventuras
E eu sempre fui não

Escuridão
Chuva
Frio

Vem me aquecer.

14 abril 2019

Como seria se eu estivesse aí agora?

"Como seria se eu estivesse aí agora?"

De verdade? Seria dor e sofrimento, agonia, saudade antecipada. Brigaríamos pela maneira como você fala certas palavras e do porquê eu nunca largar meu telefone. Em meia hora, eu te faria gritar de raiva e você me faria chorar por estar gritando. Na minha cabeça, eu estaria gravando cada frase tua e escolhendo rimas para te expor em poemas para quando você estivesse longe. O suor das tuas mãos me fariam afastar minhas próprias mãos e meus olhos, sempre muito pretos, manchariam tua camiseta branca preferida.
Eu espalharia cabelos azuis ou dourados pela sua casa de uma maneira que não daria para me esquecer, mesmo que quisesse. E você deixaria por aqui apenas um pé de meia no meio da minha sala.

Mas eu queria tanto que você estivesse aqui agora.