Fez mais fácil me fazer chorar/ Durou um dia

A tua falta era órgão vivo
Que pulsava dentro de mim
Feito coração bombeando vida
E eu repetia um mantra bobo: “eu sobrevivo, e sobrevivo até o fim,

eu sobrevivo, até o fim eu sobrevivo”
Toda a dor da despedida
Dilacerava, rasgava, matava minha carne de dentro para fora
Durou um dia

Durou somente um “agora”

A minha dor durou tão pouco
Comparada ao mundo que te amei
Doeu feito soco, certeiro, desnorteador
Mas doeu bem menos do que chorei

Ao amanhecer, anestesia invadia as veias
Morfina e risadas que não soube dar
Sempre foi tão fácil me fazer rir
Fez mais fácil me fazer chorar

A tua falta e toda a agonia que trazia
Durou um dia, somente um dia
E já no terceiro, fez-se a luz ao me pegar sorrindo
Desvesti o capuz do passado e descobri o Universo lindo

Toda tua falta e toda minha dor
Nada mais era que buraco n’alma, que me queimava, despedaçava, apagava
Toda essa minha nova falta de dor
Me é agora apenas calma, paz que faltava, vazio que sobrava

A tua falta que foi órgão vivo
Que foi meu ar para respirar
Durou somente um dia
Durou até mais do que mereceu durar.

0 Comentários: