em alguma aula de poesia.

Pausadamente te olho
Sonolentamente te decoro
Estupidamente te desenho:
Traço o dedo na sobrancelha
Teus cílios caem feito cortina
Covardemente me escondendo tudo
Quando ainda nem te pedi nada.

0 Comentários: