Talvez eu simplesmente deva esquecer
Sabe, começar a viver
Te deixar no passado
Em algum baú muito bem trancado

Em algum lugar onde você nunca possa voltar
Para me assombrar
Puxar meus pés à madrugada
E dizer o quanto eu sou amada

Cansei de tuas mentiras
E de tuas verdades também
Meu coração que se corta em tiras
Por você e por mais ninguém

Que se mutila sozinho
Não querendo, mas seguindo seu próprio caminho
Sem você.

Por que eu não faço o mesmo?

0 Comentários: