O Sal Nas Minhas Feridas


Minha cabeça dói um pouco
Passei a madrugada batendo com ela na parede
Com a esperança de que você se soltasse lá de dentro
Acho que não funcionou

Meu coração que bate feito louco
Parece que sente sede
Querendo esquecer de você que só eu lembro
Acho que minha fonte de vida secou

E eu voltei aqui para te escrever
De novo e mais uma vez
Como se um dia você fosse parar para ler
Como se você tivesse alguma ideia do que me fez

Você me cortou ao meio
E tacou sal nas feridas abertas
Logo após de ter deitado-se ao meu seio
E dito que eu era a mulher mais certa de todas as mulheres certas

Você me cortou
E tacou sal nas feridas para que eu nunca te esquecesse
Para que nunca cicatrizasse a dor que me causou
Como se eu merecesse

E eu continuo batendo e batendo a cabeça
Na parede que racha e mancha-se de vermelho
“O esqueça! O esqueça!”
Droga. Por mais que eu grite, não consigo fazê-lo

Porque você tacou sal na minha pele machucada
Fez arder e ainda arde em mim um pouco da tua indiferença
E eu estou cansada
Cansada e cansada de não te fazer a diferença
De não ter a capacidade de fazer com que minha vida me obedeça

Vida essa que insiste em te querer
De seguir a tua
E eu fico sem saber o que fazer
Te procurando pela rua. E nunca te encontrando.

Vou bater um pouco mais com a minha cabeça.
Para te esquecer
Rezando para que meu coração cresça
E que tente voltar a bater. Sem você.

0 Comentários: