É Tempo de Depressão


É ferida em carne viva
Bato nas extremidades
Talvez chorar não sirva
Para lavar toda essa saudade

Falta de me sentir vivendo
Falta de sonhar
Esquecer o que venho sendo
Uma pessoa melhor me tornar

Deus, me perdoe por não fazer por merecer
A vida que me deu
Uso meu corpo para nada
Talvez o Senhor já me esqueceu

Pois continuo paralisada

Pernas que doem por eu não caminhar
Olhos que ardem de tanto reclamar
Garganta que arde por não falar
Coração que bate apenas para me contrariar

Que é esse sentido de mortalidade
Que me assombra?
Que é essa dor-ansiedade
Que me persegue feito sombra?

Me acostumei com as coisas ruins
Que já não posso sentir as coisas boas
Presenciei tantos e tantos fins
Que já não diferencio as pessoas

Deus, me perdoe pela minha inutilidade
Por minha covardia
Gosto do chão, ele é feito minha metade
Não sei se posso mudar isso um dia

Preciso admitir:
Talvez eu não queira mudar
É mais fácil fingir
É mais fácil sentar e chorar

É mais fácil deitar
Fechar os olhos
Me esconder embaixo do protetor cobertor
Sonhar

Anestesiar a dor.

0 Comentários: