18 Corações


Eu quis ter eles atrás de mim por muito tempo
Eu quis alimentar inúteis sentimentos
Eu dizia a todos o mesmo discurso
Até que um deles me tirou do curso

Eu adorava ser disputada
Mentir que estava apaixonada
Me fazer de coitada
E ser tratada feito princesa encantada

Sendo que no fundo eu era a madrasta malvada
Que oferecia suas maçãs envenenadas
A pobres garotos fáceis de enganar
Fáceis de apaixonar

Eu amava dizer ‘não’
Dizer ‘não quero magoar teu coração’
Repetir ‘só te vejo como amigo’
Mas adorava ouvir desesperadamente ‘fica comigo’

Adorava rir de declarações
Não escutar pedidas canções
Adorava mesmo era causar furacões
E causar desilusões

O discurso era o mesmo todo dia:
‘Todos têm seu amor não correspondido’
Mas era eu quem não entendia
Que eu nunca tinha entendido

É fácil dizer ‘não quero você’
O difícil é ouvir
É tentar compreender
Querer é fugir

Se eu pudesse juntar cada pedaço
Do teu sofrido coração
Se eu pudesse dar-te um abraço
E segurar tua mão

Se eu soubesse que o ‘não’ dói demais
Eu jamais
Eu jamais
Eu jamais te diria ‘sim

Porque eu não posso lutar
Contra os meus ‘nãos sentimentos’
Eu não sou assim
Prefiro te fazer chorar
Do que te fazer perder tempo
Desculpe se te iludi
Se te menti
Quando ouviu ‘eu também’
Era blefe, meu bem

Mas eu sei como dói amar
Como dá raiva chorar
Mas eu sei também que isso vai passar
Que não será pra sempre que isso vai durar

E eu que dava conselhos de desapego
Que demonstrava tanto sossego
Hoje me importo com o que você pensa
Parece que até sofro de uma doença

Não me reconheço
Acho até que enlouqueço
Só de pensar que amanhã eu já te esqueço
E sei que só estou pagando o preço

Dezoito corações feridos
E o meu partido
Dezoito ‘não’
E sou eu quem está caída ao chão

O mundo dá voltas
E se fecham muitas portas
Mas quem se importa?
Eles querem me ver morta


Mas se o passado vivesse no presente
Eu não mudaria nada
Nem o que você sente
Nem o fato de eu estar apaixonada

Só colocaria um fim
Te dizendo sim
Ou repensaria ao dizer ‘não’
Ao décimo – sétimo coração.

0 Comentários: