Quem sabe, quem sabe?


E eu quero viajar
Te encontrar escondido entre a troca de estações
E eu quero ir ai te buscar
Onde você se esconde quebrando corações

O meu, há muito tempo quebrado
Te entreguei embrulhado em papel laminado
O teu, muito bem escondido
Não se entregou nem ao meu pedido

E o verão veio irritado
Brigando com o sol e o mar
E eu, muito calado
Já não sabia mais o que te falar

“Eu te amo” saia sem querer
E você, sem perceber
Ignorava meu amor
Me causava dor

Mas eu repetia
Na esperança de que um dia
Você soltasse um “eu também”
Sem eu saber que não podemos forçar o amor a ninguém

E o outono veio infeliz
Me perguntando o que diabos eu fiz
Para te afastar assim tão ligeiro
Eu respondi que foi o declarar do amor, companheiro, o amor verdadeiro

O inverno não custou a aparecer
Me iludindo com imagens onde você vinha me aquecer
Mas você já tinha partido
Sem deixar um bilhete dizendo para onde tinha ido

E eu fiquei aqui na primavera
Jogado aos sonhos, a quimera
E eu fiquei aqui na vontade
Sentindo imensas saudades

Quem sabe você volte
E me solte
Dessas correntes que são o amor
E não me cause mais dor...

Quem sabe, quem sabe?


acho que é hora de dar Tchau ! (:

0 Comentários: