*


Sim, eu te escrevi cartas, mas não mandei.
Sim, eu quis dizer “não parta”, mas não gritei.
Sim, eu sou a fraca, eu sei...
Mas sim, sinto sua falta, eu já falei...

Não me deixe esquecer daquela vez
Onde você pegou minha mão e levou ao seu coração
Me mandou contar até dez
E eu senti sua respiração,  senti sua vibração, sua canção...

Aquela que ninguém mais ouviu,
Aquela música que você canta só pra mim,
Aquela cheia de rima ruim,
Mas ela é minha...

E nos meus sonhos você sussurra “não te deixarei sozinha”;
Você promete?





*esse poema NÃO está terminado, mas eu acho que ficou bem assim, terminando do nada... e sim, ele é pessoal, um dos poucos que temos aqui, mas esse é...

0 Comentários: