SAUDADE, SAUDADE, SAUDADE

A saudade aperta, invade, machuca, tortura, cansa, destrói, corrói, dança dentro do meu coração, ri na cara da razão, alucina toda e qualquer reação...
Sinto mesmo a tua falta, falta que me mata toda vez que ouço teu nome, quando te procuro e te busco em telefones...
Sinto a tua falta da mesma maneira que sinto fome, o estômago reclama e a cabeça fica leve, sinto tua falta enquanto estou na cama, te sinto nas palavras que meu teclado escreve, e te perco dentro do vazio que é não te ver, não poder tocar, não poder mais saber o que te faz sorrir, o que te dá prazer, o que te fazer chorar...
A saudade me come vivo, me engole sem mastigar, gruda na pele feito adesivo que não quer soltar, me prende numa cela escura, a saudade dói como verdade nua e crua, feito tapa na cara, feito tique-taque de um relógio que não pára.
Sinto tanto a sua falta que não sei respirar, às vezes me esqueço de que preciso de ar, acreditando que tudo o que preciso para sobreviver é você, mas é realmente você.
E a saudade corta a pele, sangra minha veia, como uma onda que rompe, impedindo que me atropele, me deixando sozinho na beira, me deixando sem eira nem beira.
E o mar podia me levar embora, imploro que me leve, me arraste até você enquanto meu coração chora, enquanto é só você que nele serve, enquanto é só você que me serve.
Saudade, saudade, saudade...
Tecla repetida, eu sei, mas é a verdade...
Saudade é feito ferida, que cria casca, que deixa marca, cicatriz, e eu jamais serei feliz, repito, eu JAMAIS serei feliz sem você.
Então porque não volta e mata essa minha saudade com a navalha que é teu beijo?
É só você que desejo, é só você...


ACHO QUE É HORA DE DAR TCHAU! (:

0 Comentários: