É mágoa, é raiva, é saudade

Passei tanto tempo recapitulando nossos beijos
Que me impedi de provar outras bocas
Andei para trás feito caranguejo
Até me sentir vazia, oca

Passei tempo demais me remoendo pela sua partida
Me perguntado o que eu fiz de errado, o que não fiz
Me questionando se não era bastante divertida
Se não te fazia esquecer o passado, se te fiz feliz

Tempo inútil esse que perdi
Podendo ter compartilhado com outra pessoa
Mas não, eu nunca cedi
Eu sempre fui aquela menininha boa

Que cruzava os braços e esperava
Bom, eu já te esperei demais
Diziam que quem esperava sempre alcançava
E eu? Eu não te alcancei jamais

Nunca consegui te alcançar, te afetar de alguma maneira
Meus “eu te amo” eram tratados como brincadeira
E quem brincava era você comigo
Parabéns você conseguiu, não consigo nem mais te ver como amigo

Como o amor pode se tornar ódio de maneira tão fácil?
Foi tão rápido, nem vi chegando
E de uma outra para outra estava te tratando de um jeito nenhum pouco dócil
Minhas amigas disseram que eu acabei acordando

Então amar você foi um sonho?
Por que se tornou um pesadelo?
Por que ao te ver me envergonho?
Por que não dá para simplesmente esquecê-lo?

Perguntas tão inúteis quanto meu tempo perdido
Perdido sem você, ao teu lado
Você não é mais meu príncipe escondido
Você se tornou calado, fechado, parte do passado

Essa escolha não foi minha
Mas me diga, errei sozinha?
Não minta, não vire a cara
Admita que o amor simplesmente pára

Nem adianta dar corda
Ele não vai voltar a funcionar
Te amei demais e o amor também transborda
E acaba não sobrando nada em mim para você amar

Me orgulho de ter amado você
O que me envergonha e me tira o sono
É essa vontade louca de você
Esse meu jeito de me acostumar tão rápido com teu abandono

Afinal, o que é a solidão
Quando você está no meu pensamento?
Quando você bate junto com meu coração?
Mais perda de tempo... É, eu sei

Sei também que já falei mais do que devia falar
Mais do que te interessa escutar
Mas eu não consigo parar, não dá para parar
Então me faça calar!

Me beije como aquela vez
Como a nossa primeira vez
Quando meus dedos e lábios tremiam
Não era medo, eu queria te fazer feliz

Quando as horas iam e iam
E você contando segredos
E eu rindo de tudo que você diz
Eu me apaixonei naquele dia

Quando teus olhos brilhavam de paixão
Quando minha pele ardia
Quando eu podia tocar teu coração
Quando eu era a única que te segurava e você não fugia

Onde está você agora?
Por que foi embora?
E por que infernos eu insisto em insistir em você?
Por que choro sem saber por quê?

Eu sei por que choro
É mágoa, é raiva, é saudade
E é amor que sai pelos meus poros
Que me dá vontade de te ter de verdade

E o que sobra de mim
É só mágoa, é só raiva, é só saudade...

ACHO QUE É HORA DE DAR TCHAU! (:

0 Comentários: