Suo Sozinha no Frio

Como você consegue dormir
Se eu não te deixo em paz nos meus pensamentos?
Como você ainda consegue sorrir
Sabendo que dentro de mim há tormentos violentos
Causados por você e por tudo aquilo que você não sente?

Pelo menos você não mente
Nunca disse que iria me amar
Mas eu me agarrei a uma falsa esperança tão firmemente
Que nem sabia como me soltar
É difícil de me imaginar vivendo sem chorar por amor

Mas é ainda mais difícil de sentir calor, uma faísca sequer
Quando o outro me beija, me toca
Não vejo mais nenhuma cor, de muita paixão o amor requer
E agora não tenho nada a oferecer, e meu coração de amado não troca e destroca

Desculpe?
Pois sim, se culpe
Se culpe por não conseguir sentir o mesmo que eu
Se culpe se por um minuto me esqueceu
Se culpe, se castigue, se condene, se violente

Mas por favor, venha curar suas feridas comigo
Porque se você sente dor, minha vida se desgasta como castigo
Porque eu jogo pragas ao vento
Pedindo que você desfrute do mesmo sofrimento
E sim, eu não me arrependo

Não estou me rendendo
Nada está derretendo
Tudo está tão frio como antes
Foram-se embora contigo os dias excitantes a as estrelas brilhantes
Hoje estou no frio e suo sozinha

E esse arrepio me lembra de quando eu te esperava e você não vinha
Mas deixe estar
Isso vai passar
Tem que passar
Até lá?
Aaah! Me deixe sonhar, chorar, gritar, não amar e beijar...
Não necessariamente nessa ordem...

ACHO QUE É HORA DE DAR TCHAU!! (:

0 Comentários: