Sabedoria inexiste, fingida...Você sabe?


Sabedoria inexiste, fingida...Você sabe?


Você sabe não sabe?
Sabe o quanto dói não saber
O quanto machuca tentar enfiar em meu peito esse amor que não cabe
E rezar para que tudo acabe, ah você sabe, deve saber

Deve saber também que passo minhas noites em claro

Olhos abertos, coração chorando e pés balançando nervosos
Sabe que eu não minto quando digo que tudo isso me custa muito caro
Eu tentei fazer o certo e acabei errando e deixando rastros dolorosos

Mas a culpa maior lhe pertence
Por que você finge não saber de nada
Tanto quando meu time perde ou vence
Não lhe importa, né?

Então eu lhe pergunto porque tenta manter a boca fechada
Quando sei que palavrões solta e o pior é quando em um sorriso entorta
Você sabe o que quanto me faz mal e o quanto me faz sofrer
Você se diverte?

Isso não é normal, nem pode ser
Ninguém com coração agiria dessa forma
Ninguém me beijaria com tanto amor se nada sentisse
Ninguém fugiria e me causaria tanta dor se não se divertisse com isso

Você está sorrindo seja lá onde estiver?
Você está lembrando do quão idiota eu fui?
Está gargalhando enquanto outro alguém lhe lambuza de beijos?
Está se orgulhando em saber que eu choro?

Não sei o que você quer
Mas tenho que saber se você retribui
Cada gota de desejo que sente meu corpo porque eu não vejo
O que vejo é que cada dia que passo pioro

E minha depressão tem nome
E é o mesmo que você assina em papéis imaculados
E meu remédio é ir para o mesmo lugar para onde você vai quando some
Serei bem recebido entre teus discursos para os fiéis errados, mentirosos, apagados?

Eu ainda tenho fé nas tuas palavras
Como se você fosse uma religião, melhor, uma seita homicida
Que me leva direito ao penhasco mais próximo
Onde eu lhe pergunto para que continuar com a vida sem você, daqui a vida não é linda
Mas para você lhe parece ótimo

Pulo sem medo de morrer
Estouro  um prédio e ainda sorrio enquanto desaba o teto
Pois é o que você quer ver
Pois é o que você disse que era certo

Doentio, palavra bonita essa
Palavra que explica o que sinto
E o que tenho é pressa, muita pressa
Por que te amar até parece instinto, estava escrito

Sabe o que eu sou?
Um bobo da corte do seu castelo de mentirinha
Sabe o que me restou?
Nada além de umas poucas linhas

Linhas rabiscadas que você nunca irá ler
E quer saber?
Eu vou apagar mesmo

É Hora de Dar Tchau!


0 Comentários: