Palavras Soltas


Oie, esse poema aqui é antiguinho, mas eu o encontrei no meio de um caderno e me lembrei do quanto gostava dele... Espero que também gostem! 
(:
Palavras Soltas


É ainda pior sentir falta daquilo que nunca se teve.
Sim, esse é o inicio da minha frase.
Peço-lhe que ao se impressione com minhas rimas inexistentes, tão pouco diga que estou certo.
Não é a tua opinião que me faz sorrir, mas é a do meu amor que me faz.
Meu amor tem outro amor, e nem é isso que me perturba.
O que me tira o sono é saber que meu amor pensa em mim, pois sei que são apenas estúpidas e supérfluas palavras que saem de sua boca quando há álcool em sua cabeça, quando a carência fala mais alto, e quando no fim, eu acabo acreditando.
Eu chego a odiar meu amor, mas isso logo passa, o que me sentir ódio de meu próprio reflexo.
Sim, ódio de mim mesmo por não conseguir odiar meu amor por mais de dois segundos.
Não são palavras de desabafo que aqui escrevo, são palavras soltas, o reflexo do que estou sentindo ou suponho sentir.
Pois meu coração estava vazio, jogado ao acaso, carente e cheio de nada.
Pois é, cheio de nada.
E minha vida precisava de um pouco de emoção, de raiva, de ciúme, de uma paixão que me desse tudo isso.
Pois aquelas que me dão sorrisos, eu não acho graça.
Pois aquelas que me fazem feliz, não me interessam, não me chamam a atenção.
Mas meu amor quer algo sério, não comigo, o que já mostra que não estamos no mesmo caminho, mas eu crio uma encruzilhada no meio da estrada só para meu amor passar por mim.
Só para que nossas vidas se encontrem mais uma vez, só mais uma vez.
E esse é o fim tão esperado e tão patético que consigo escrever, sim, a historia de meu amor e eu acaba assim, do nada, fica na boca um gostinho de quero mais, a vontade de dar um final decente àquilo, que tão surpreendentemente,  começou...

É hora de dar Tchau ! (:




0 Comentários: